Menina Lua

janeiro 12, 2009

Escrito por Bernardo Morais

Lua, lua minha
Distante é longe
Como tu és impossível
Missão suicida minha

Água salgada
Lua minha não derrama
Brilha lua, luz refletida
Daqueles que Lua ama

Labirinto inconquistável, lua inabitável
Distante é longe
Como tu és impossível
Enigma indecifrável

Mas como uma flor que se abre
Jogas teus perfumes doces,
E doce veneno arde
Pulsas por minhas veias
Me matando de amores
Queimando, pulsando,
Ardendo, matando,
Te amando.

Missão suicida minha.

Um poema que eu escrevi… A propósito, Bernardo Morais é meu nome, não sei se algum dia eu informei isso aqui… Bem, agora está informado, certo? 😀

O poema fala sobre uma garota impossível, como a Lua! Tirem as interpretações que quiserem, eu já tenho as minhas e pra mim são suficientes.

Anúncios